Blog do Robson

WTW INTENT CABEADA

Image and video hosting by TinyPic

Compartilhamento:

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Aprovado em Medicina na UFRN, estudante não tem como se manter em Caicó para fazer o curso

Essa foi a terceira tentativa de Anderson Ferreira, de 21 anos, entrar em medicina na UFRN. Agora, ele procura ajuda para conseguir morar e se manter em Caicó, cidade para onde passou.
Anderson Ferreira conquistou uma vaga para ingresso no segundo semestre letivo de 2017
Depois de três anos tentando, o estudante Anderson Ferreira, de 21 anos, conseguiu realizar seu grande sonho: ser aprovado no curso de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A vaga, porém, é para o campus de Caicó, município distante 256 quilômetros da capital potiguar, onde mora o estudante.

“A minha família não está preparada financeiramente”, explica o estudante, que concluiu o ensino médio em uma escola estadual de Natal. Por ser de família humilde, Anderson não tem condições financeiras de morar em outra cidade, onde também não conhece ninguém. “Seria muito interessante mesmo encontrar alguém que me dê suporte”, diz.

Da primeira vez que fez o ENEM, o estudante chegou a ter nota suficiente para cursar enfermagem, mas preferiu insistir no sonho de ser médico. Em entrevista à Inter TV Cabugi (vídeo acima), ele contou que um de seus grandes desejos é ter a “capacidade transformar a vida de alguém num momento tão vulnerável da vida”.

Para conseguir passar, Anderson precisou de persistência e dedicação. “No ensino médio eu estudava 10 horas por dia. Os livros didáticos foram minha base, eu sempre priorizei ter um livro e cumpri-lo de capa a capa para que todos aqueles conteúdos que o vestibular cobra, que nesse caso é o ENEM, fossem cumpridos à risca.”

O estudante ainda tinha que conciliar a rotina pesada de estudos com a ajuda que dava à mãe, vendedora de doces. “A gente saía para vender bolo de porta em porta, vender brigadeiro. Era uma batalha muito grande, a gente saía no sol tão quente, e Anderson dizia 'Mainha, é tão difícil, né', e eu, 'É verdade, mas a gente vai conseguir'” disse a mãe.

Também foi fundamental para a conquista o apoio de parentes, amigos e até ex-professores. A ex-professora de biologia de Anderson, Paula Bergantin Oliveros, conta que doou livros para ele estudar e combinou que ele faria provas diferenciadas, com apenas questões do ENEM, de vestibular e discursivas. “Desde a primeira prova ele se deu bem”, diz.

Apesar de morar atualmente em Pernambuco, a professora continua a apoiar o estudante e começou uma campanha no Facebook para Anderson poder morar em Caicó enquanto estuda medicina. Na publicação, que já teve 254 compartilhamentos, ela diz que “qualquer quantia ou mesmo com contatos, livros, uma moradia em Caicó ou qualquer outra coisa serão bem-vindas”.

Fonte: G1 RN