Blog do Robson

WTW INTENT CABEADA

Image and video hosting by TinyPic

Compartilhamento:

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Casal do RN percorre mais de 10 km a pé para levar filha com microcefalia à terapia

Família mora em Jandaíra e precisa ir a Natal regularmente para tratamento. Único carro da prefeitura que transporta pacientes para outras cidades estava ocupado por falha no agendamento.

Um casal do interior do Rio Grande do Norte pegou carona e percorreu mais de 10 quilômetros a pé para levar a filha pequena, que tem microcefalia, para fazer terapia em uma universidade de Natal. Normalmente, a família viaja em um carro da prefeitura de Jandaíra, mas não conseguiu embarcar na última quarta-feira (31).

Francisca e Daniel da Silva contam com poucos recursos para cuidar dos quatro filhos — ele está desempregado e ela deixou o trabalho de faxineira para cuidar da família. "O que eu posso dar a ela [eu daria], se eu tivesse mais. "Às vezes eu choro, como eu tô chorando agora, porque eu não tenho", disse a dona de casa à repórter da Inter TV Cabugi.

Anne Vitória, de um ano e três meses, nasceu com microcefalia congênita, o que significa que sua cabeça e cérebro são menores do que a média. Não existe cura para a condição, mas há terapias que podem melhorar as habilidades da criança. A família encontrou atendimento especializado gratuito na Universidade Potiguar (UnP) e começou o tratamento há um mês.
Sem dinheiro para pagar a viagem de Jandaíra a Natal, o casal foi com Anne Vitória até uma parada de ônibus do município, onde conseguiram carona em um ônibus até João Câmara. De lá, o motorista de uma carreta os levou até Ceará-Mirim. A última carona os deixou em Igapó, bairro da Zona Norte de Natal.

Como não conseguiram outra carona e não tinham como pagar a passagem, os dois resolveram ir a pé até o campus da Avenida Senador Salgado Filho, onde a menina faz tratamento. Eles andaram cerca de 10 quilômetros do início da Avenida Bacharel Tomaz Landim até a universidade. Foram mais de duas horas de caminhada.
Casal pegou carona até Igapó e caminhou por mais de duas horas antes de chegar a universidade (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Segundo a secretária de Saúde de Jandaíra, Roberta Duarte, houve um mal-entendido no agendamento. "Aqui no município, nós acompanhamos duas pessoas com o mesmo nome, tanto a Anne gabrielle quando a outra Anne, então houve apenas uma falta de comunicação. Ao invés de ter sido ela, foi a outra menina que foi na viagem", justificou.

A secretaria tem apenas um carro alugado para transporte de pacientes que fazem tratamento em outras cidades, o que é pouco para atender à demanda. Cerca de 40 pessoas fazem tratamento todos os meses fora de Jandaíra.

"A partir de agora, nas segundas e quartas, mesmo sabendo da situação em que o município se encontra e das nossas limitações, nós vamos buscar oferecer o serviço pra ela nos dias que é disponibilizado e diante também da demanda que o município se encontra. Então, assim, não é necessário que ela venha antes da segunda e antes da quarta pra marcar novamente, a gente já tem noção da situação", acrescentou a secretária.
Do G1 RN